contato@institutoacqua.org.br

Equipes de limpeza do Hospital de Campanha de Parauapebas (PA) trabalham para garantir segurança

03/06/2020

Profissionais cuidam 24h por dia para que cada setor seja desinfectado e possibilitam, além da segurança, que demais trabalhadores possam atuar na missão de salvar vidas; Hospital de Campanha, que teve aporte da Vale, é gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa)

No combate ao novo coronavírus profissionais que atuam na linha de frente são essenciais. Nesta batalha, o serviço das equipes de limpeza, fundamental, já não é mais invisível. Em Parauapebas, no Pará, o Hospital de Campanha, que teve aporte da Vale e mantém gestão do Instituto Acqua em parceria com a Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), conta com 21 pessoas na área da limpeza.

O coordenador de limpeza e portaria, Leandro Donato Nascimento, destacou que todos que estão trabalhando neste momento têm a importância equiparada. “Trabalhamos 24 horas por dia em dois turnos de 12 por 36. Sabemos que manter frequentemente os ambientes limpos, principalmente as áreas de risco, é como salvar vidas. É um momento histórico e nós fazemos parte de tudo isso”.

O hospital recebe três tipos de serviço de higienização: a limpeza, a descontaminação e a desinfecção. A limpeza concorrente, feita diariamente, é realizada em todo ambiente hospitalar utilizando produtos menos concentrados, mesmo com fluxo de pessoas no local. A limpeza terminal é feita com produtos mais concentrados após a saída do paciente, independente do motivo (alta, transferência ou óbito). Esta última é feita em todas áreas e itens que envolvem o paciente, desde o chão e utensílios até a parede ao redor da cama, tudo é higienizado com detergente clorado a 1% na concentração e desinfetante a base de quaternário de amônia com biguanida, que é um bactericida.

Profissionais da limpeza receberam orientações sobre prevenção e como direcionar a equipe perante a situação da pandemia, que é novidade para todos. Francisca Oliveira está à frente de uma das equipes no Hospital de Campanha. “Sou técnica de enfermagem, mas nunca procurei mudar do cargo de supervisão de limpeza. Já tem 12 anos que trabalho na mesma função e me apaixonei pela coordenação. É muito bom você reconhecer a importância da sua função, mesmo que outras pessoas não reconheçam. Acredito que a Covid-19 veio para valorizar o que muitos não davam importância”, afirmou a supervisora de limpeza.

Francisca é uma das profissionais que tem orgulho de descrever seu trabalho. “Tenho prazer em fazer parte desta equipe direcionando um trabalho de extrema importância. Me sinto honrada por isso. Chegamos todo dia às 7h, nos paramentamos para poder entrar, e trabalhamos com material de qualidade. Embora ninguém esteja sabendo como é nossa rotina, nós sabemos que não é só o médico, a enfermeira ou o técnico de enfermagem que estão salvando vidas. A gente também se desdobra, deixa nossa família em casa e quer voltar com saúde. Nós existimos, sabemos a importância que temos dentro deste quadro e agradecemos o suporte que o hospital nos oferece para não sermos mais invisíveis”.

Para o diretor-geral do Hospital de Campanha, David Dias, o trabalho desempenhado pelas equipes de limpeza, além de fundamental, é a base do cuidado e serviço prestado. “Reconhecer o trabalho da equipe de limpeza é ter a certeza de que sem eles nenhum setor poderia atuar. Esses profissionais tornam cada atividade possível. Contamos com cuidados essenciais para os servidores e insumos importantes para garantir, além da segurança, o bom serviço. Agradecemos as equipes de limpeza por também cuidarem de nós nesse momento”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *