contato@institutoacqua.org.br

Sob gestão Acqua, unidades de saúde recuperam 2 mil pacientes da Covid-19

19/10/2020

Ações implantadas auxiliaram hospitais do Mato Grosso do Sul, Maranhão e Pará; trabalho segue com eficiência e responsabilidade

As unidades de saúde com as quais o Instituto Acqua gerencia em três estados registraram quase 2 mil pacientes recuperados da Covid-19. Os dados abrangem o período de fevereiro até a primeira quinzena de outubro e demonstram o reflexo da gestão que oferece atendimento humanizado, investe em instalações, tecnologias, treinamentos e segurança para prestar o melhor serviço à população e proteger os funcionários.

Em meio a pandemia do novo coronavírus, o Acqua expandiu a gestão de leitos administrados na rede pública de saúde. Com 1.400 leitos distribuídos entre os estados do Maranhão, Pará e Mato Grosso do Sul – em hospitais públicos que já administrava em parceria com as Secretarias de Estado da Saúde, e em novas instalações como hospitais de campanha, foram contabilizadas, até 15 de outubro, 1859 vidas salvas.

No Maranhão foram 1.353 pessoas recuperadas do coronavírus em oito unidades de saúde públicas espalhadas pelo estado que ofereciam atendimento à doença. Já no Pará são 383 altas de pacientes que ficaram internados no Hospital de Campanha (HC) Dr. Carlos Augusto Estorari, em Parauapebas – unidade que contou com aporte da Vale e administração do Instituto Acqua. No Mato Grosso do Sul foram registradas 123 altas de pessoas em tratamento da Covid-19 no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã, e no Hospital de Campanha (HC) do município.

A gestão do Acqua nestas 11 unidades que ofereceram atendimento a pessoas infectadas pelo novo coronavírus foi marcada por atendimento eficiente. A agilidade e os constantes treinamentos que os funcionários participavam a cada novo protocolo de atendimento enviado pelos órgãos nacionais e internacionais de saúde, bem como a dedicação dos profissionais e o tratamento sendo realizado por equipes multidisciplinares fizeram a diferença para a recuperação dos pacientes.

A readequação de espaços, aumento do número de leitos de enfermaria e Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s), criação de alas exclusivas para pacientes infectados pelo novo coronavírus, além de investimento em equipamentos modernos também ajudaram a salvar vidas. O incentivo e disponibilização de Equipamentos de Proteção individual (EPI’s) auxiliaram evitar a transmissão da doença a maioria dos profissionais de saúde.

“Estamos enfrentando a maior pandemia da nossa geração e o Instituto Acqua, nestes 21 anos, assumiu seu maior desafio junto à rede pública de saúde, salvando vidas e protegendo seus funcionários e familiares. Desde o início do avanço da doença reforçamos as capacitações, investimos na compra de equipamentos de proteção individual e ampliamos nosso atendimento para garantir eficácia. Além das unidades que já administrávamos, passamos a gerenciar três hospitais de campanha nesse período. Certamente é um trabalho desafiador, mas gratificante por devolver às milhares de famílias seus parentes recuperados. Parabenizamos cada colaborador que tem feito parte dessa história de superação”, comenta Samir Siviero, diretor-presidente do Instituto Acqua.

Maranhão – No Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), em São Luís, 523 pacientes com a doença receberam alta desde o início da pandemia. O hospital preparou fluxo de atendimento específico para pacientes com a Covid-19 que inclui leitos de isolamento e cuidados intensivos.
A unidade de saúde é referência no estado para tratamento de pacientes com coronarvírus e ampliou o atendimento em maio com a inauguração do serviço de ambulatório especializado, com estrutura que possibilita receber pacientes em número equivalente a quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s). E para amenizar a saudade dos pacientes internados e familiares disponibilizou aplicativo de troca de mensagens através de tablets.

Ainda na capital maranhense as maternidades gerenciadas pelo Acqua também tiveram destaque na recuperação de gestantes e puérperas. Na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (MACMA) 185 mulheres se recuperaram da doença. E na Maternidade Benedito Leite, 109 mulheres voltaram para casa após tratamento. O Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, também na cidade de São Luís, registrou 32 altas de pacientes recuperados.

Interior do Maranhão – No município de Santa Inês, o Acqua gerencia o Hospital Macrorregional Tomás Martins, que abrange atendimento a pessoas de 20 municípios. Nesta unidade de saúde 229 pacientes se recuperaram da Covid-19. Ao lado foi montado o Hospital de Campanha (HC) de Santa Inês, também gerenciado pelo Instituto. Em 60 dias de funcionamento, 90 pessoas venceram a doença. A unidade contava com 40 leitos e uma equipe de 100 profissionais.

O Hospital Regional de Balsas, na região Sul do Maranhão, ampliou o número de leitos de UTI para realizar o tratamento de pacientes graves de Covid-19. Ao todo a unidade oferece 27 leitos exclusivos sendo 12 de UTI e 15 de enfermaria. O hospital, referência de atendimento para a população de 13 cidades, registrou 64 altas de pacientes com coronavírus.

Na baixada maranhense, em Pinheiro, o Hospital Regional Dr. Jackson Lago também conta com ambulatório exclusivo para atendimento de pessoas com Covid -19 e registrou 121 pacientes recuperados até 15 de outubro.

Pará – Em Parauapebas foram 383 altas de pessoas que ficaram internadas no Hospital de Campanha (HC) Dr. Carlos Augusto Estorari. O equipamento foi montado em maio deste ano para atender exclusivamente casos de baixa e média complexidade da doença, desta maneira liberando outras unidades públicas de saúde para o atendimento de casos de alta complexidade.

O HC teve aporte da Vale, que contratou o Acqua para realizar a gestão completa da unidade, e funcionou de maio a setembro com 100 leitos e equipe com aproximadamente 200 profissionais. Com taxa de óbitos de 1,5% e também índice muito baixo de contaminação dos profissionais, já que somente 8 trabalhadores adquiriram o novo coronavírus, o hospital cumpriu papel essencial para desafogar a saúde pública municipal. O trabalho do Instituto Acqua segue no município até novembro – gerenciando a área Covid-19 do Hospital Municipal.

Mato Grosso do Sul – Em Ponta Porã foram registradas 123 altas de pacientes em tratamento da Covid-19, sendo 69 no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto e 54 no Hospital de Campanha (HC).

A estrutura do HC foi montada ao lado do Hospital Regional para que houvesse sinergia no atendimento em todos os níveis de casos. O HC contou com 40 leitos de enfermaria e observação para pacientes com sintomas respiratórios e Covid -19, e outros 20 leitos de UTI no Hospital Regional estão equipados com ventiladores mecânicos, central de monitoramento, monitores multiparâmetros e suporte avançado de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *