contato@institutoacqua.org.br

Mães são homenageadas com música, flores e chocolates no Hospital Dr. Carlos Macieira (MA)

07/05/2021

Iniciativa marcou as comemorações pelo Dia das Mães, que será celebrado no próximo domingo, no hospital gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES)

“Só a palavra mãe já significa que somos guerreiras. O instinto maternal nos une. E desejo que todas as mães, sobretudo as mães que ainda estão afastadas dos seus filhos nessa pandemia ou afastadas de suas mães idosas ou que tenham comorbidades, que mantenham a calma, não se desesperem, e continuem seguindo todos os protocolos sanitários”. A mensagem de esperança é da enfermeira Andréa Oliveira, mãe de Vinícius, 20 anos, e de Maria Paula, 12 anos. Ela coordena os leitos de UTI Covid-19 no Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), em São Luís (MA), e recebeu, nesta sexta-feira (07/05), flores e chocolates em alusão ao Dia das Mães.

A ação coordenada pelas equipes do Núcleo de Educação Profissional e Comissão de Humanização do hospital percorreu toda a unidade gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Acompanhadas do músico e acadêmico de Medicina, Joel Mistokles, foram entregues 260 flores e 200 lembrancinhas de chocolate para mães que estão internadas no hospital e também às profissionais e colaboradoras.

Andréa lembrou ainda o início da pandemia e como o instinto materno foi importante para a manutenção da saúde mental no desafio de enfrentamento à Covid-19, que ainda continua. “No início tive que ficar 6 meses sem ver minha filha. Ela teve que ir morar com o pai e eu a via somente da janela. Toda vez que eu voltava para o hospital a imagem dela me fortalecia. Via o rosto dela em cada colaborador e paciente. Nós dizemos aqui que cuidamos do amor de alguém. Olhar o filho ou filha de um paciente é também considerar que esse filho é nosso também, está sob nossos cuidados e temos que devolver esses filhos com saúde para suas mães”, falou.

Uma dessas “filhas” é a paciente Maria Cirlene Lobo de Abreu, 49 anos, que recebeu um grande presente para a o Dia das Mães, a alta hospitalar do tratamento da Covid-19. “É uma emoção muito grande que vai ficar na mente até eu ficar de bengalinha. Foi um aperto grande ficar longe do meu filho e da minha mãe. Mas tenho certeza que todo dia ela esteve orando por mim, somos muito unidas. Tive muito medo dela adoecer, mas agora ela já está vacinada e domingo vamos estar juntas, abraçadinhas”, contou, sob lágrimas, Maria Cirlene.

O momento foi de muita emoção. As flores foram sendo recebidas por cada profissional que não puderam conter as lágrimas pelo gesto de carinho e reconhecimento. “Ser mãe é um milagre”, disse a técnica de enfermagem Selmir Santos Pereira, 46 anos, mãe de Adonias, Osana e Maiara.

Já para a fisioterapeuta Nádia Fonseca dos Santos, 48 anos, o Dia das Mães vai ter um sentido muito especial. “Vai ser meu primeiro domingo com o João Pedro, o filho que adotei. Ele tem 1 ano e 4 meses e minha vida mudou, se tornou muito melhor por causa dele. Estamos na fila para adotar mais outra criança no próximo ano”, anunciou.

Outras mães confiam na recuperação de seus filhos e no tratamento recebido no Hospital Dr. Carlos Macieira. Para Maria de Jesus Vieira dos Santos, 38 anos, que acompanha o tratamento do filho Levi Ferreira, de 1 ano, o domingo vai ser de esperança. “Apesar das enfermidades, o sentimento é de alegria por esse gesto de carinho. Ser mãe muda tudo na vida da gente. A gente descobre o verdadeiro amor”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *