Acqua promove sarau com imigrantes e refugiados em Santo André (SP)

06 de Novembro de 2017

Gratuito, evento terá grupo vocal africano, balé da África Ocidental e poesia árabe

Imigrantes e refugiados de vários países apresentam no sábado, 11 de novembro, um sarau com música e poesia típicas de seus países no Espaço Vivências e Convivências do Instituto Acqua em Santo André (SP) Avenida Lino Jardim, 905, Vila Bastos. O evento acontece a partir das 11h e tem entrada gratuita. Haverá também comercialização de pratos árabes executados pelo chef Davi Abdo, bisneto de libaneses.

O sarau tem como proposta discutir a situação dos refugiados no Brasil e também colocar em pauta a diversidade cultural desses povos. Por meio de manifestações artísticas, os músicos e poetas irão expressar suas dificuldades e preocupações, dentro de uma realidade diferente da que estavam habituados antes de deixarem seus países.

Entre os artistas que farão exibições está o Balett Fareta Sidibé, grupo de bailarinos, cantores e percussionistas originários da Guiné Conacri, na África Ocidental. Outro destaque será o cantor Yannick Delass, da República Democrática do Congo, que apresentará letras com forte cunho político e social.

Conheça os artistas que participam do sarau

Balett Fareta Sidibé: grupo de bailarinos, cantores e percussionistas originários da Guiné Conacri, na África Ocidental. Executam ritmos tradicionais como Yöky e Sorsonner assim como transitam por estilos contemporâneos, como o reggae e o hip hop. A apresentação inclui fortemente a dança, apresentando ao público o estilo Djole, acompanhado pelas batidas dos djembés, do doundoun, do sangba, pelas cordas da Kora e pelo teclado de madeira do Balafón.

Canja Música Árabe: duo que interpreta o cancioneiro clássico árabe e a poesia de resistência palestina, dando especial destaque às músicas de Síria, Palestina e Líbano. Conduzem as apresentações a cantora Oula Al-saghir, nascida em Homs, na Síria, e o pianista brasileiro Nelson Lin.

Os Escolhidos: quarteto vocal formado por imigrantes e refugiados da República Democrática do Congo. O repertório, cantado à capela, traz composições próprias e cantos tradicionais da África. Incorporam à sonoridade o zouk, a rumba congolesa, entre outras tendências da música moderna africana.

Jéssica Areias: nascida em Luanda, capital de Angola, a artista faz show de voz, violão e percussão, em composições próprias e repertório de música popular angolana. Canta em português, crioulo e umbundo.

Yannick Delass: nasceu na República Democrática do Congo, é hoje cidadão de São Tomé e Príncipe e reside em São Paulo há um ano, depois de realizar projetos de intercâmbio em Minas Gerais e na Bahia, onde produziu dois CDs com músicos brasileiros. A presença de uma poesia de forte cunho político e social também é marcante no trabalho de Yannick, que canta em francês, português e idiomas da África Ocidental. 

Demais informações pelo e-mail eventos@institutoacqua.org.br ou telefone (11) 4823-1800.  

Serviço

Sarau Imigrantes e Refugiados;

Dia 11 de novembro, a partir das 11h;

Local: Instituto Acqua – Avenida Lino Jardim, 905, Vila Bastos, Santo André (SP);

Entrada gratuita;

O espaço conta com bicicletário gratuito e também é pet friendly.