Após parto humanizado, chinesa elogia atendimento da Maternidade Nossa Senhora da Penha (MA)

07 de Maio de 2019

Casal chegou à unidade acompanhado de intérprete; cuidados oferecidos à gestante atendem métodos preconizados pelo SUS e familiares na China acompanharam o parto pela internet

Madrugada de domingo, 5 de maio. O plantão noturno na Maternidade Nossa Senhora da Penha (MA) corria normalmente. Gestantes atendidas na classificação de risco, exames realizados, partos concretizados. Mas uma paciente chama atenção da equipe de plantão. A chinesa Zheng Jinling, 34 anos, por volta das 3h, com 4 cm de dilatação e contrações bem presentes, chega à unidade procurando atendimento acompanhada pelo marido Lui Yunming, 35 anos, e da intérprete Fernanda Zhang. Na manhã do último domingo, às 8h, após todos os procedimentos durante um parto natural humanizado, a estrangeira deu a luz à pequena  Jinxuan Liu. Zheng e Lui vivem no Maranhão há dois anos e trabalham como comerciantes.

Além do parto da pequena chinesa, o plantão do último fim de semana na Maternidade Nossa da Penha foi movimentado. Trezes mulheres passaram por procedimentos de parto. A unidade é gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES). A mãe e a pequena Jinxuan receberam alta nesta terça-feira (7/05).

Com auxílio da intérprete, o casal de chineses conta como foi o tratamento recebido na unidade. O comerciante Lui lembra radiante o fato de ter participado do parto da segunda filha do casal. “Na China, o pai não pode entrar e acompanhar o parto. É a primeira vez que eu cortei o cordão umbilical. Aqui pude acompanhar o nascimento e transmitir para minha família. Tudo muito diferente da China. É uma coisa nova. Fomos bem recebidos. A parte artística da pintura da placenta foi muito boa também”, contava enquanto explicava com a mão o sinal que fez ao cortar o cordão umbilical.

A prática utilizada do clampeamento do cordão umbilical pelo acompanhante no momento do parto é comum nas maternidades gerenciadas pelo Instituto Acqua e faz parte do trabalho de parto humanizado da rede pública de saúde no estado. Além deste método, o contato pele-a-pele é feito imediatamente ao nascimento estimulando o vínculo mãe-bebê. Toda a cultura da paciente foi respeitada dentro da maternidade. O pré-natal da chinesa foi realizado na rede privada de saúde.

Ainda no leito 6, do Alojamento Conjunto (Alcon), a intérprete com base na fala da chinesa Zheng, traduzia o que foi vivenciado na maternidade. “Ela está contando que aqui na maternidade a equipe é muito carinhosa, todos tratam muito bem todo mundo. A atenção e carinho de todos da maternidade são importantes, assim como a saúde, limpeza, estrutura e alimentação”, descreveu a chinesa natural de Fujian.

Concluído o parto, a mãe também recebeu a pintura da placenta em um quadro como recordação. Práticas que tornam o parto um momento de grande emoção. Neste caso, quem realizou a pintura da placenta foi o marido Lui Yunming durante um momento de compartilhamento com outros pais e acompanhantes.

O atendimento – Após o preenchimento do Boletim de Atendimento, a chinesa foi assistida na Classificação de Risco. No local, ela foi recebida pela enfermeira Lucihelma Cristina dos Santos Freitas. A profissional de saúde realizou verificação de pressão arterial e temperatura da mãe, entre outros procedimentos, tais como os testes rápidos de sífilis, HIV, Hepatite B, exames de rotina, hemograma completo, VDRL, além de tipagem sanguínea e fator Rh. E ainda explicou sobre pinturas da barriga e sobre o parto natural e humanizado. Após essa etapa, ela foi encaminhada para o pré-parto.

“Foi uma experiência incrível até porque ela estava muito ansiosa para ter seu filho com um parto humanizado. Ela realizou o pré-natal todo em uma clínica particular, porém a intérprete relatou que ela queria a pintura da placenta. Quando mostramos a ela, percebemos que ela ficou maravilhada”, contou a enfermeira neonatologista.

No quarto PPP, uma das inovações do parto humanizado da Maternidade Nossa Senhora da Penha, a comerciante recebeu todos os cuidados para a realização de um parto natural.  Lá, foram utilizados métodos não farmacológicos para alívio da dor (banho morno, exercício de respiração, massoterapia, penumbra, agachamento, exercício na bola Suíça), além de apoio emocional à mãe e ao acompanhante, monitoramento e avaliação da evolução do trabalho de parto e da vitalidade fetal.

“Apesar da comunicação verbal ter sido intermediada por uma intérprete, também conseguimos transmitir confiança, segurança e cumplicidade através do olhar, do sorriso e de gestos tranquilizadores, prerrogativas imprescindíveis durante o trabalho de parto”, exclamou a enfermeira Tâmara Graziela Matos Neves.

 “O atendimento à gestante chinesa é o resultado de toda uma equipe comprometida e que compreendeu a importância de se tratar com amor cada gestante que procura nossa unidade. É uma sensação de gratidão por todos que formam a Maternidade Nossa Senhora da Penha”, pontuou a diretora da maternidade, Luciana Ferreira.