Artista de rua grafita mural de 25 metros quadrados na sede do Instituto Acqua

12 de Janeiro de 2018

Odirlei Regazzo, o Sapo, projetou obra que dá acesso ao Espaço Vivências e Convivências do Instituto em Santo André; local recebe diversas atrações culturais e educacionais por mês

Um lugar que inspire cultura. É exatamente com essa proposta que o Espaço Vivências e Convivências, localizado na sede do Instituto Acqua, em Santo André, recebe a população do Grande ABC em diversos eventos culturais e educacionais. Para deixar a ambientação do local mais descolada, o artista de rua Odirlei Regazzo, o Sapo, criou uma obra que ocupa o mural de 10 metros de comprimento e 2,5 metros de altura na entrada do espaço. Os visitantes que frequentarem as atividades de 2018 poderão conferir a arte de perto.

Com a ideia de retratar cenários naturais que valorizam o meio ambiente e traduzem a importância da preservação, o grafiteiro concebeu a pintura de uma cachoeira representando o vilarejo de Paranapiacaba, patrimônio histórico e artístico do Brasil. Emoldurado pela Mata Atlântica, o lugar abriga um roteiro de trilhas e a primeira reserva biológica da América Latina, além de contar com o cambuci, fruto oriundo das matas. Por ser um cenário relevante para a região do Grande ABC e ter representatividade natural, foi escolhido para embelezar o acesso aos visitantes do Instituto Acqua.

“Trabalhei a partir da ideia que o diretor-presidente do Instituto repassou. Ele queria que trouxesse essa questão mais ambiental para caracterizar a entrada do Espaço Vivências e Convivências, que é um lugar cultural. E o grafite cumpre bem essa proposta. Usei cores fortes em vários tons que demarcam bem a  mata e ainda apliquei uma frase do filósofo Tolstói na parede oposta. É a primeira vez que faço um trabalho desse tipo, nessa dimensão, e acabei gostando bastante”, comenta o grafiteiro.

A frase “Se queres ser universal começa por pintar a tua aldeia”, de Leon Tolstói, foi escolhida pelo diretor-presidente do Instituto Acqua, Ronaldo Querodia. “Esse pensamento tem tudo a ver com a proposta que iniciamos lá atrás e que seguimos aplicando até hoje. É a filosofia do Acqua. Nossos projetos só avançaram porque soubemos enxergar um eixo importante. Foi preciso cuidar do nosso olhar para alcançar uma perspectiva ampliada. Hoje nossos projetos ajudam diversas pessoas nas regiões em que atuamos, mas tudo tem um começo e nós soubemos ‘abraçar’ as oportunidades. Criamos esse mecanismo de possibilitar às pessoas acesso à educação, cultura e saúde para formar uma rede que está sempre recebendo novas iniciativas”, explica.

Sobre o artista

O andreense Odirlei Regazzo, conhecido na cena artística como Sapo, iniciou sua trajetória em meados de 1997, por meio de alguns amigos pichadores e grafiteiros. Com o decorrer do tempo, o estudo na busca por identidade fez com que sua pintura sofresse uma forte mutação, valorizando principalmente o traço orgânico e despretensioso junto ao estudo das cores. O aprimoramento da linguagem trouxe diversos desenhos de animais imaginários intitulados de “Fabulosa Fauna”, transitando sempre entre o abstrato e o figurativo em busca de expressividade e simplicidade. Nesta nova fase, Regazzo desvia seu olhar para outros signos da natureza.

Só em 2017, o artista realizou três mostras de seus trabalhos, sendo uma exposição coletiva ‘Burgos’ na Funarte (SP), outra na galeria Gravura Brasileira, em Pinheiros (SP), e a Mostra Individual ‘Torrencial’ no espaço Open Arts, na Bela Vista (SP).

Para contatar o artista, acesse www.odirleiregazzo.com

Espaço Vivências e Convivências – Criado para estimular as relações entre pequenos produtores e a comunidade, o Espaço Vivências e Convivências foi inaugurado pelo Instituto Acqua em maio de 2017 para receber diversos tipos de atividades saudáveis e culturais.

Com atrações mensais, o espaço oferece cursos de alimentação saudável, feiras e evento cultural com apresentação da Camerata de Choro e venda de pratos preparados por chefs de cozinha da região. Para este ano a programação contará com novidades a partir de março. Os valores arrecadados com as atividades são revertidos para os projetos sustentáveis desenvolvidos pelo Instituto nos locais em que atua.

Endereço do Instituto Acqua: Avenida Lino Jardim, 905, Vila Bastos, Santo André.