Casa de Apoio Ninar recebe pesquisadores por ser referência no tratamento de crianças com problemas neuropsicomotor no Maranhão

26 de Outubro de 2018

Visitantes são avaliadores dos projetos do prêmio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão 
 
Um grupo de 13 pesquisadores de diversas universidades federais do Nordeste visitou a Casa de Apoio Ninar, localizada em São Luís (MA), equipamento sob gestão compartilhada entre o Instituto Acqua e a Secretaria de Estado da Saúde (SES). A visita à unidade, realizada na quarta-feira (24/10), também contou com a presença do secretário de Saúde do Estado, Carlos Lula.

Os visitantes integram o comitê constituído para avaliação das propostas dos projetos do prêmio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema). Para o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a visita dos pesquisadores mostra a importância da unidade para a saúde pública de todo o País. "A gente celebra o que já fez e comemoramos mais serviços novos, inéditos e com um cuidado especial que nós temos tido com nossas crianças. Assim vamos construindo uma nova história para a saúde do Estado", afirmou.

"Essa visita é importante para que conheçam os detalhes que envolvem o Complexo Ninar e de que forma beneficia crianças e seus familiares. Ficamos satisfeitos com a referência para outras regiões", destacou a neuropediatra e diretora do Complexo Ninar, Patrícia Sousa.

Para Silvane Nascimento, diretora científica da Fapema, esta edição do prêmio mostra como as pesquisas do Estado estão cuidando das crianças maranhenses em vários aspectos e dimensões em relação a saúde, educação, atendimento e monitoramento do desenvolvimento infantil. "Grande parte das propostas apresentadas são voltadas para a área da saúde, mais especificamente para a síndrome decorrente do vírus da Zyka. As propostas mostram a preocupação dessas pessoas em perceber, observar de perto as alternativas que esses projetos informam sobre a doença no Maranhão. Esses pesquisadores ficaram muito interessados e quiseram conhecer de perto o trabalho da Casa de Apoio Ninar, depois de ficarem maravilhados com os comentários", explicou Silvane.

Bartolomeu Cruz Viana, da Universidade Federal do Piauí, ficou surpreso com a rotina de trabalho da Casa de Apoio. "Ouvimos falar muito sobre a Casa de Apoio, mas ficamos ainda mais maravilhados ao conhecermos de perto esse trabalho", garantiu.

Atuação - Além do atendimento médico multidisciplinar para crianças com doenças que afetam o desenvolvimento neuropsicomotor, incluindo a microcefalia, a Casa de Apoio Ninar oferece serviços do Ambulatório de Especialidades em Epilepsia na Infância, com capacidade para atender cerca de 250 crianças por mês, com idade entre zero a 12 anos de 78 municípios do Estado. O atendimento conta com equipe multiprofissional composta por neuropediatra, psiquiatra, pediatra, infectopediatra, psicóloga, nutricionista, enfermeira, assistente social, oftalmologista, arteterapeuta e professor de música.

De julho de 2017 até maio deste ano, a Casa de Apoio Ninar contabilizou 97.227 atendimentos que mudaram a vida de crianças da Capital maranhense e interior do Estado. Destes, 40.840 foram consultas médicas e multiprofissionais, 1.689 procedimentos de enfermagem, 7.826 terapias individuais, 6.119 terapias de grupo, 39.400 atendimentos multiprofissionais e 1.353 exames.

Fotos: Marcio Sampaio/SES