Casa de Apoio Ninar reúne famílias e profissionais das unidades de saúde em homenagem pelo Dia Internacional da Mulher | Instituto Acqua

Casa de Apoio Ninar reúne famílias e profissionais das unidades de saúde em homenagem pelo Dia Internacional da Mulher

12 de Março de 2018

Na oportunidade, participantes foram sensibilizados sobre a realidade e desafios socialmente enfrentados pelas mulheres

Empoderamento feminino, sororidade (aliança entre mulheres baseada na empatia e companheirismo), superação, respeito. Esses foram os principais ingredientes que fizeram da homenagem do Instituto Acqua às mulheres, na Casa de Apoio Ninar, um evento com amor e solidariedade. Realizado na manhã de 10 de março, o evento teve a participação de mães e filhos atendidos pela Casa, além de profissionais das demais unidades maranhenses sob a gestão compartilhada entre Instituto Acqua e Secretaria de Estado da Saúde (SES). Palestras sobre Violência doméstica e Superação, dicas de defesa pessoal e sorteio de brindes fizeram parte da programação.

“Pensamos uma programação que oferecesse conscientização e lazer, ao mesmo tempo em que contribuísse para melhorar a autoestima dos participantes. Motivar e valorizar são verbos muito importantes para o público convidado, que incluiu pacientes, ao lado de seus familiares, e profissionais das unidades”, ressaltou a coordenadora das unidades do Maranhão e diretora do Instituto Acqua, Paula Assis.

Na abertura da comemoração do Dia Internacional da Mulher, a diretora da Casa de Apoio Ninar, Patrícia Sousa, destacou que o objetivo do evento foi, além de homenagear, confraternizar, motivar e promover um momento para despertar o que cada pessoa tem de melhor.

Antes das palestras, o judoca Sérgio Duailibe e o lutador de Muay Thai Delta Simpper ensinaram golpes básicos de defesa pessoal, que podem ser aplicados em casos de abordagem violenta. Os atletas destacaram também a importância do esporte para a saúde física e emocional.

A programação seguiu com a palestra da relações públicas Fabiana Reis. Vítima de acidente de trânsito, que resultou em tetraplegia, a profissional compartilhou os mecanismos que lançou mão para conviver feliz e dignamente com as limitações. “Não há necessidade de reclamar. O que precisamos é acordar, no sentido de dar cor aos nossos dias. A todos que estão aqui e, principalmente as mães que se dedicam intensamente aos cuidados com os filhos, peço que renovem as forças e sejam felizes com a vida que têm. É possível, porque a felicidade não está fora, e sim, dentro de cada uma. É um desafio doloroso, mas temos muitos motivos para agradecer pelos nossos presentes diários”, ressaltou.

Mãe de Gabriel, de 3 anos e 5 meses, acompanhado pela Casa de Apoio Ninar, Odinéia Benevenuto ressaltou que o evento é mais uma demonstração do acolhimento e humanização adotados pela unidade. “Aqui, todo momento é uma forma de terapia e ser convidada para esta comemoração é mais uma demonstração de que o atendimento é humanizado, envolvendo não só meu filho, mas toda a minha família”, afirmou.

Violência doméstica – Concluindo a programação, a delegada Kasumi Tanaka, da Casa da Mulher Brasileira, falou sobre Violência doméstica e Lei Maria da Penha. “Apesar de tratar especificamente da violência, foi a Lei Maria da Penha que impulsionou a discussão sobre cerceamento dos nossos direitos e o enfrentamento desse problema, abrindo caminho também para o debate público sobre empoderamento”, destacou a delegada.

Na oportunidade, foram distribuídas as cartilhas ‘Aprendendo com Maria da Penha no Cotidiano: o que você precisa saber’, que apresenta detalhes sobre a configuração da violência familiar contra a mulher.

 

Fotos: Johney Tavares