Hospital Dr. Carlos Macieira apresenta avanços para atender casos complexos no Maranhão

04 de Janeiro de 2019

Instituto Aqua assumiu, em maio de 2018, a gerência da unidade que é referência em atendimentos de alta complexidade

O grande número de atendimentos complexos de assistência e tratamento de saúde pelo Hospital Dr. Carlos Macieira foi o destaque da unidade durante o Encontro de Gestores 2018, realizado em São Luís (MA) pelo Instituto Acqua, nos dias 13 e 14 de dezembro, com o objetivo de avaliar o resultado das ações realizadas ao longo do ano.

Desde 21 de maio sob a gestão do Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES), o hospital ampliou a capacidade de atendimento de cirurgias de média e alta complexidade em mais da metade após aquisição, modernização e manutenção de diversos equipamentos, aumento de número de leitos e inauguração de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica Cardiológica, diminuindo a fila de espera de crianças cardiopatas no estado.

De maio a outubro de 2018, a unidade realizou 2.697 cirurgias gerais. O número de leitos ampliou com os serviços da UTI cardiopediátrica e a entrega de sete novos leitos no setor de cardiologia adulto. Ao todo, são 245 leitos disponíveis – 188 clínicos e 57 de UTI. Também foram realizados 4 mil atendimentos mensais no ambulatório da unidade, que dispõe de consultas em 19 especialidades, da clínica médica a urologia.

Para o diretor do hospital, Marko Antônio de Freitas, a parceria com o Instituto Acqua dinamizou o atendimento, possibilitando ampliar os serviços com gestão de qualidade e excelência. “O hospital recebeu, em novembro, certificação entregue pelo presidente da Associação de Medicina Intensiva do Brasil, reconhecendo o zelo pela qualidade dos dados das UTI’S, o que impacta o cuidado no atendimento aos pacientes. Além disso, a unidade promove constantemente ações terapêuticas, como musicoterapia, e acompanhamento psicológico 24 horas dos usuários”, disse.

No Carlos Macieira funciona a Central de Regulação da Rede Estadual de Saúde, que direciona para as unidades hospitalares do estado os mais diversos atendimentos, de acordo com a complexidade e especialidade de cirurgias e internações, e também conta com atuação da primeira Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT).

A coordenadora da comissão, Luiza Nóvoa, destacou também na apresentação da unidade a importância da CIHDOTT na busca ativa de potenciais doadores de órgãos. O hospital é o maior notificador de casos de morte encefálica e colaborou na realização de 38 transplantes de córnea e dois transplantes de rins em 2018.

“Salvar vidas é a principal missão do hospital. Por isso, além do atendimento de pacientes em casos cirúrgicos, o Carlos Macieira também tem colaborado em ajudar outras pessoas que estão na fila de espera por um órgão e nós trabalhamos 24 horas por dia realizando busca ativa e campanhas de conscientização”, pontuou Luiza.