Hospital Dr. Carlos Macieira (MA) amplia capacidade de atendimento sob gestão Acqua

04 de Janeiro de 2019

Em 2018, a unidade hospitalar ganhou novos leitos para as UTI’s cardiológicas pediátrica e adulta, sendo considerada referência no estado em atendimento de alta complexidade

A partir da gestão do Instituto Acqua, iniciada em maio de 2018, o Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), ampliou os serviços e a capacidade de atendimento que o colocam no patamar do hospital referência em alta complexidade do Estado do Maranhão. Neste período em que o Acqua está à frente da gestão, o HCM realizou 2.608 internações. Desse total, 722 foram casos de alta complexidade e outras 1.880 de média complexidade. A unidade ainda realizou  9 mil consultas médicas, 49 mil consultas multiprofissionais e quase 200 mil exames de diversas áreas, além de 8,2 mil hemodiálises.

As orientações normativas do Ministério da Saúde apontam que são considerados de alto porte os hospitais que possuem capacidade normal ou de operação de 151 a 500 leitos. O diretor-geral do HCM, Marko Antônio de Freitas, destaca que essa complexidade também é avaliada pelas especialidades. “O Carlos Macieira tem esse reconhecimento por fazer cirurgias de alta complexidade, como neurocirurgias, cirurgias cardíacas e hemodinâmicas, entre outros casos”, disse.

O hospital possui, atualmente, 245 leitos, divididos em 188 leitos clínicos e 57 de UTI’s, com diversas especialidades: clínica médica (51), cirurgia geral (45), cardiologia (40), neurologia (13), neurocirurgia (9), cirurgia vascular (8), urologia (8), pediatria (8), pneumologia (6). Também, 24 leitos na UTI Geral, 12 na UTI Cardiológica, 12 na UTI cirúrgica e 9 na UTI Pediátrica.

Dentro do Hospital Carlos Macieira funciona a Central de Regulação da Rede Estadual de Saúde, que direciona para as unidades hospitalares do estado os mais diversos atendimentos em saúde, de acordo com a complexidade e especialidade de cirurgias e internações. Toda a regulação é sistematizada pelo Controle Integrado de Leitos, o CIL.

A equipe técnica do Núcleo Interno de Regulação do HCM recebe solicitação de leitos pela Central de Regulação e pelos pacientes encaminhados pelo ambulatório. A rotina envolve a visita diária aos leitos e as internações são divididas com base no controle da Central, os atendimentos do ambulatório e as cirurgias eletivas.

“Existe um sistema de regulação que normatiza os critérios de avaliação e as prioridades de atendimento. Os pacientes do ambulatório são regulados com a disponibilidade de leito por meio de agendamento. Já os encaminhados pela Central são avaliados pela equipe dos médicos plantonistas. São considerados prioritários, os pacientes em grave situação de saúde ou encaminhados pela Justiça”, explicou Laurissa Rodrigues Batalha, supervisora do Núcleo Interno de Regulação.

Ampliação de serviços - Em 2018, o Carlos Macieira inaugurou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica Cardiológica que conta com 17 leitos (9 de UTI e 8 de enfermaria). Outros 7 novos leitos também foram entregues ao setor de cardiologia.

“A ampliação dos serviços na área de cardiologia, com mais leitos, vem garantir o atendimento de uma demanda grande da Rede Estadual de Saúde que necessitava destes serviços numa unidade hospitalar do próprio estado. Além disso, este ano, tivemos o reparo de equipamentos usados em cirurgias de média e alta complexidade que aumentou a nossa capacidade de atendimento”, falou Marko Antônio.

Pela qualidade do atendimento, a unidade hospitalar recebeu reconhecimento da Associação de Medicina Intensiva do Brasil (AMIB), com certificação entregue durante a visita do presidente da associação, em novembro deste ano, pela excelência no gerenciamento dos indicadores de qualidade e desempenho das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), de acordo com a Resolução Nº 7/2010, do Ministério da Saúde.

A estrutura do hospital oferece também assistência em urgência, emergência, clínica cirúrgica e médica, exames de imagens e laboratoriais, consultas, cirurgias e atendimento multiprofissional – que inclui as áreas de enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, serviço social, nutrição e psicologia –, além de atendimentos em odontologia hospitalar e sessões de hemodiálise, entre outros serviços.