Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago amplia qualidade do atendimento | Instituto Acqua

Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago amplia qualidade do atendimento

08 de Janeiro de 2018

Com reorganização interna e preparo técnico dos profissionais, unidade fortaleceu ações de transparência e procedimentos de alta complexidade em 2017

Ampliar a transparência no encaminhamento de pacientes, reorganizar o fluxo de atendimentos e aumentar o acesso a procedimentos de alta complexidade para a população da região foram algumas conquistas apresentadas pela direção do Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago no Encontro de Gestores 2017, realizado em São Luís (MA) pelo Instituto Acqua.

Sob gestão da parceria Acqua e Secretaria de Estado da Saúde, a unidade possui 116 leitos e é referência para uma população de aproximadamente 600 mil pessoas da região, com serviços de apoio diagnóstico e oftalmologia, laboratório de análises clínicas e anatomia patológica, tomografia, raios-x, ultrassonografia, mamografia, endoscopia e colonoscopia.

Ao avaliar os avanços em 2017, o diretor-geral da unidade, Edilson Correa, apontou melhorias no funcionamento do NIR (Núcleo Interno de Regulação) e da assistência ambulatorial. “Os critérios de distribuição e entrada de pacientes ficaram mais transparentes para os 41 municípios atendidos pelo hospital e passamos a utilizar a TV interna para exibir os dias e horários de agendamentos de exames para os pacientes”, detalhou.

O atendimento especializado também evoluiu no período. O tratamento oferecido a Juliene Araújo, moradora de Pinheiro que sofreu fratura na perna esquerda, é um exemplo desse avanço na oferta de procedimentos especializados. Ela foi a primeira paciente da região a receber o fixador externo de Ilizarov, equipamento usado para corrigir fraturas e deformidades ósseas”, contou a coordenadora de enfermagem da unidade, Dayane Rodrigues.

“Esse modelo de fixador nem sempre está disponível para unidades de saúde do SUS. Ele chegou ao nosso hospital graças ao empenho do Instituto Acqua e da direção, que atenderam ao pedido que fizemos para resolver o caso dessa paciente”, explicou o ortopedista Apolinário Magno, responsável pela cirurgia de cerca de duas horas realizada em Juliene.

“O trabalho conduzido em Pinheiro ao longo dos últimos 12 meses demonstra como esse hospital tem suprido a carência por serviços especializados na região ao proporcionar atendimento de excelência em especialidades como cardiologia, cirurgia geral, clínica médica, neurocirurgia, entre outras. O esforço diário das equipes do Acqua continuará em 2018 para garantir que a população tenha acesso a esses e outros serviços oferecidos pela unidade”, afirmou Ronaldo Querodia, diretor-presidente do Instituto Acqua.