HOSPITAL REGIONAL DE BALSAS É DESTAQUE DA ONU AO ATINGIR A MARCA DE 365 DIAS SEM MORTE MATERNA

10 de Janeiro de 2019

Conquista é resultado das ações voltadas para a qualidade de vida da mulher, pré-natal, parto e puerpério; ONU publicou avanço


A cada quatro minutos morre uma mulher por hemorragia no pós-parto no mundo. No Maranhão, o Hospital Regional de Balsas, gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), ganhou repercussão internacional ao alcançar a marca de 365 dias sem morte materna, com divulgação pela Organização das Nações Unidas (ONU) - que pode ser conferida neste link.

O resultado abrange ações integradas com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), braço regional da Organização das Nações Unidas (ONU) e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), por meio de estratégias direcionadas para o cuidado da mulher, a qualificação da atenção pré-natal e o fortalecimento de iniciativas de planejamento reprodutivo. 

Em 2016, o Governo do Maranhão assinou acordo de cooperação com a agência da ONU para reestruturar a Rede de Atenção Materno Infantil em todo o estado com o objetivo de diminuir os indicadores de mortalidade, especialmente entre mulheres e crianças. A abertura do hospital em Balsas integrou o plano de ação do acordo. 

É a primeira vez, em mais de duas décadas, que a região consolida a marca de zero óbito em 365 dias. De janeiro a novembro de 2018, a unidade realizou 1.337 partos normais e 1.210 partos cesárea. A unidade hospitalar conta com serviços de assistência ginecológica, obstétrica e neonatal. 

Os dados indicam a redução significativa não apenas na mortalidade, mas também no near miss materno e neonatal — termo médico usado para se referir a casos em que uma gestante ou recém-nascido enfrenta complicações de saúde que os colocam em risco considerável de morte. 

Para o diretor do Instituto Acqua, Ronaldo Querodia, a conquista é um reconhecimento de que é possível transformar a realidade de uma região com assistência em saúde de forma planejada. “A conquista do Hospital Regional de Balsas representa um exemplo em política de saúde ao obter em tão pouco tempo um dado significativo, numa região que, no passado, sofria com altos índices de mortes maternas, além de ser um esforço coletivo no diálogo entre o poder público e as diversas instituições parceiras da unidade hospitalar”, pontua. 

O Hospital Regional de Balsas oferece assistência materna de urgência e emergência obstétrica 24h e é referência para 14 municípios da região. A unidade realiza 815 atendimentos diários e conta com 12 leitos clínicos, 14 pediátricos, 20 alojamentos conjuntos, 4 quartos PPP, 6 leitos de UCINCo, 6 leitos de UCINCa e 12 para UTI adulto, 4 salas cirúrgicas 

Morte materna – É o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término da gestação, independentemente da duração ou da localização da gravidez. É causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela. As causas mais comuns que levam ao óbito materno são hipertensão gestacional, hemorragias graves no momento do parto e infecções provenientes de abortos inseguros.