Primeiro dia de funcionamento do Sorrir registra centenas de atendimentos a pacientes da Capital e interior

01 de Março de 2018

Número de avaliações destaca o preparo da equipe para grande demanda

A Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão (Sorrir) iniciou seu funcionamento nesta quinta-feira (1/3). Até as 16h cerca de 300 pessoas receberam atendimento no local. Neste primeiro momento, os pacientes passaram por avaliação e devem retornar ao consultório com data e horário agendados.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, visitou a unidade para acompanhar esses primeiros atendimentos e observou que a demanda reprimida para o serviço odontológico vai além do previsto. “Hoje contávamos com um movimento modesto, no entanto, todos os que estão aqui serão atendidos. Essa grande procura é a evidência de que o projeto partiu de uma decisão mais do que acertada. De fato, estamos dando às pessoas a capacidade de voltar a sorrir. Muitos não cuidam dos dentes pela falta de condições, por isso precisamos de um Sistema Único de Saúde forte e uma gestão que se preocupe com a saúde bucal”, ressaltou.

A dona de casa Cilene Barbosa, moradora da Mata, em São José de Ribamar, foi uma das primeiras a ser atendidas e se mostrou surpresa com o acolhimento do Sorrir. “Cheguei muito cedo e fui muito bem recebida. Os profissionais daqui são atenciosos e têm paciência. Fiz a avaliação e vou retornar na data agendada para que sejam atendidas as necessidades que o dentista identificou. Para mim, aqui é excelente, e vou poder fazer o que não tinha condições de realizar em clínica particular”, afirmou Cilene.

O Sorrir, assim como as demais unidades gerenciadas pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, adota o atendimento humanizado como diferencial. Essa orientação foi prontamente acolhida pela equipe de profissionais, que tem o compromisso de prestar serviço de qualidade.

“É fundamental que todos entendam que esse tratamento deve ser humanitário. A Odontologia, por anos, está associada à dor e, no Maranhão, atrelada também ao esquecimento. Então, temos de humanizar o atendimento. Uma mão no ombro e um sorriso, por exemplo, fazem com que as pessoas se sintam mais seguras. Humanização é uma obrigação de todo profissional que trabalha com outras pessoas”, afirmou o dentista Stelio Fonseca, que é integrante da equipe do Sorrir.

Durante todo o dia, maranhenses da Capital e do interior do Estado passaram por avaliação em tempo hábil. Para os casos de reabilitação, foi feito agendamento para retorno e tratamento específico, sem necessidade de fila.

 

Fotos: Instituto Acqua e Márcio Sampaio