Profissionais do Acqua no Maranhão recebem capacitação sobre gerenciamento e manuseio correto dos resíduos sólidos

21 de Fevereiro de 2019

Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (MACMA) foi a primeira unidade a participar da capacitação promovida pelo Núcleo de Segurança do Trabalho do Instituto Acqua

O manejo correto dos resíduos sólidos produzidos por unidades hospitalares é uma orientação permanente na gestão do Instituto Acqua. Profissionais da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (MACMA), unidade gerenciada em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), receberam, na última terça-feira (19/02), orientações sobre o gerenciamento do lixo decorrente dos serviços de saúde, como parte integrante das ações de capacitação do Núcleo de Segurança do Trabalho do Acqua. A segunda etapa da capacitação será realizada nesta sexta-feira (22) na mesma maternidade.

É considerado lixo hospitalar todo resíduo descartado por hospitais, clínicas e necrotérios que oferecem alto teor de contaminação para o ser humano e para o meio ambiente. Assim, bolsas de sangue, agulhas, seringas, restos de medicamento, curativos, material radioativo e até membros amputados que são descartados precisam ser organizados para evitar riscos aos profissionais, aos pacientes e à comunidade onde está situada a unidade de saúde.

“Existe uma legislação nacional que orienta, normatiza e fiscaliza o gerenciamento dos resíduos sólidos e as unidades do Acqua estão adequadas às normas. Esta capacitação vem reforçar e manter continuamente informados os profissionais para cumprir com rigor o que determina o Programa de Gerenciamento de Resíduos (PGR) de cada unidade de saúde”, explica Hilton de Castro Soares, supervisor de Segurança do Trabalho do Instituto Acqua.

Ele explica ainda que a orientação que é repassada para os profissionais também alcança os usuários e pacientes da unidade. “Cada unidade tem uma equipe de segurança responsável por fiscalizar se o descarte é feito corretamente. Ainda assim, os supervisores de cada setor, como enfermagem, centro cirúrgico, ambulatórios, também são responsáveis em orientar os pacientes para não haver negligência no descarte, que vai desde um papel jogado no chão a uma seringa descartável”, esclarece.

Os resíduos hospitalares são descartados de acordo com o estado físico – sólido, semi-sólido ou líquido – e são divididos em lixo comum, lixo infectante e lixo perfurocortante. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão nacional responsável pelo controle dos resíduos de serviços de saúde e compartilha a responsabilidade com órgãos estaduais e municipais, empresas de coleta e as unidades de saúde.