Profissionais do Acqua recebem certificado do curso Saúde em Libras em solenidade na Casa de Apoio Ninar em São Luís (MA) | Instituto Acqua

Profissionais do Acqua recebem certificado do curso Saúde em Libras em solenidade na Casa de Apoio Ninar em São Luís (MA)

25 de Junho de 2018

A iniciativa assegura o acompanhamento de pessoas com deficiência auditiva em atendimento na rede pública de saúde

Saber se comunicar com o paciente, com todas as suas particularidades, é fundamental para quem trabalha em unidades de saúde. Para superar os desafios do acolhimento de pessoas com deficiência auditiva, profissionais das maternidades de Alta Complexidade do Maranhão, Nossa Senhora da Penha e Benedito Leite, do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos e do Hospital Dr. Carlos Macieira participaram do projeto Saúde em Libras, coordenado pelas secretarias de Estado da Saúde do Maranhão (SES) e Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop).

As equipes destas unidades, todas gerenciadas pelo Instituto Acqua em parceria com a SES, receberam seus certificados em 21 de junho, em solenidade na Casa de Apoio Ninar, em São Luís (MA). O evento contou com a presença do secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula. A capacitação teve duração de 40 horas com foco na Língua Brasileira de Sinais (Libras). No total, 138 profissionais foram certificados, somando 20 unidades de saúde do Estado.

Lançado em fevereiro de 2018, na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, seguido de aula inaugural, o projeto Saúde em Libras tem o objetivo de assegurar o acompanhamento a pacientes com deficiência auditiva durante atendimento na rede pública da saúde, de maneira que facilite a comunicação com os profissionais de saúde. “O curso representa muito mais que uma qualificação. Esse projeto tem um sentido humano, simbolizando o cuidado que temos com todos os pacientes e o fortalecimento da inclusão dessas pessoas na sociedade. Fomos o primeiro Estado a realizar o parto humanizado com intérprete de Libras e esperamos que daqui pra frente isso seja corriqueiro. São os primeiros 138 profissionais, mas esperamos que centenas sejam qualificados para que o Maranhão tenha condições de tornar isso comum e usual no sistema de saúde”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Desde o início do curso, o aprendizado em sala de aula, de imediato, fez a diferença no atendimento da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão. Essa unidade realizou o primeiro parto intermediado em libras no Brasil. Em 19 de fevereiro, Maria Lúcia Ferreira, 30 anos, teve o privilégio de dar à luz ao lado de profissionais que compreendessem as informações que precisava compartilhar em um dos momentos mais importantes de sua vida.

Quem recebeu a gestante foi a supervisora de atendimento da unidade, Nazaré Teixeira, uma das formandas do Saúde em Libras. “O aprendizado proporcionado pelo curso é um sonho realizado. Poder participar do parto da Maria Lúcia foi a primeira grande conquista e resposta da qualificação. O projeto, além de melhorar o atendimento das pessoas com deficiência auditiva, é uma inspiração para outras pessoas da maternidade para que também aprendam Libras. Temos uma demanda grande de pacientes e acompanhantes surdos e, por isso, precisamos estar tecnicamente preparados para recebê-los da melhor forma”, destacou.

Na Maternidade Nossa Senhora da Penha, a enfermeira obstetra Lúcia Carvalho contou que um dos momentos mais emocionantes de sua carreira foi atender uma gestante e seu esposo com o recurso da linguagem de sinais. “Desde o início das aulas, percebi que estava acontecendo uma grande mudança na nossa assistência e olhar diferenciado para o grupo de pessoas com deficiência auditiva. Nós recebemos uma paciente no plantão, quando eu estava na classificação. Fiquei muito feliz porque conseguimos nos entender. Depois, ela seguiu para o centro cirúrgico, onde foi solicitada a minha presença para intermediar a comunicação entre a gestante e o médico”, ressaltou a enfermeira.

Há sete anos na área de Segurança Patrimonial da maternidade, José Antônio Pinheiro também participou do Saúde em Libras e esteve na solenidade para receber o certificado de conclusão. Para o profissional, a qualificação tem feito a diferença em suas atividades, porque consegue auxiliar as pessoas surdas, entre pacientes, familiares e outros acompanhantes. “Abracei a oportunidade. Antes não sabia me comunicar e era um constrangimento. Estou muito satisfeito por conseguir ajudar mais as pessoas”, disse José Antônio, que comemora estar capacitado para indicar aos pacientes e acompanhantes sobre a localização dos setores da unidade.

Saúde em Libras - O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde, da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular e da Escola Técnica do SUS voltada à capacitação dos profissionais e humanização do atendimento. O objetivo é facilitar e preparar os colaboradores para o fortalecimento da comunicação com a pessoa surda e seus familiares, otimizando o acesso e o atendimento.

Nelbe Maria de Amorim, técnica da Comissão de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência da SES, disse que a realização do curso ampliou o acesso ao sistema público de saúde. “Ter profissionais capacitados na Língua Brasileira de Sinais representa um avanço na qualificação da assistência a este público no atendimento da rede SUS”, concluiu.

Fotos: Marcio Sampaio/SES-MA