Profissionais do Instituto Acqua participam de simpósio que incentiva humanização na enfermagem obstétrica em São Luís (MA)

13 de Abril de 2018

Estudantes de enfermagem e profissionais atualizaram conhecimentos para implementação nas maternidades do Estado

A Capital maranhense contou com uma programação especial para discutir os avanços e necessidades da Enfermagem Obstétrica no Estado. Com patrocínio do Instituto Acqua, a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Seção Maranhão (Abenfo-MA) promoveu em 5 de abril o 1º Simpósio Maranhense de Assistência ao Parto e Nascimento na Inserção da Enfermagem Obstétrica e Neonatal. O evento contou com a participação de 90 estudantes de enfermagem e profissionais, entre os quais enfermeiras obstetras das maternidades de Alta Complexidade do Maranhão, Nossa Senhora da Penha e Benedito Leite, todas gerenciadas pelo Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES).

Na sede do Conselho Regional de Enfermagem, os participantes assistiram às palestras ‘Violência Obstétrica na Forma Velada’, ‘Inserção da Enfermagem Obstétrica na redução da mortalidade materna’, ‘Atuação da Enfermagem nas emergências obstétricas’ e ‘Cultura e segurança do paciente’.

Para a presidente da Abenfo-MA e responsável técnica de enfermagem do Instituto Acqua no Maranhão, Analamacia Brito, a iniciativa estimula a reflexão sobre a qualidade das práticas obstétricas e agrega conhecimento para avanços na área. “O objetivo do simpósio foi oferecer aos participantes informações para inserção da enfermagem obstétrica de uma maneira que reforce a autonomia da gestante diante do trabalho multiprofissional”, destacou.

Georgina Teixeira, coordenadora de enfermagem da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, ressaltou que a troca de informações foi importante para conhecer a realidade de outras instituições que também trabalham com obstetrícia. “Esses conhecimentos subsidiam nossas condutas e foram repassados por profissionais renomados da Enfermagem, que têm atuação voltada para a mulher. Isso nos proporciona crescimento e dá segurança, pois a assistência que oferecemos está dentro do que é preconizado pelo Ministério da Saúde, pautado em diretrizes voltadas para o período gravídico puerperal”, afirmou.

“Com certeza o simpósio trouxe uma valiosa contribuição para a área obstétrica do Estado. Os profissionais, com vasta experiência e qualificação, apresentaram dados estatísticos que podemos usar como referência para melhorar nossos indicadores, assim como a assistência aos nossos pacientes”, ressaltou a coordenadora de enfermagem da Maternidade Nossa Senhora da Penha, Luciana Ferreira.

A enfermagem obstétrica é a área responsável pelo diagnóstico e tratamento de problemas com a parte fisiológica e psicossocial das famílias envolvidas em uma gestação. Contempla desde o planejamento da gravidez até os três primeiros meses após o parto. Alguns princípios que orientam o profissional que atua nessa área são a valorização do ser humano, o peso das decisões racionais relacionadas ao estado de gravidez da mulher e a chegada da criança.

O enfermeiro obstetra é habilitado para conduzir um parto quando acontece de forma natural, examinar a gestante e verificar contrações, dilatações e demais alterações no funcionamento do organismo feminino no momento do parto, podendo discernir quaisquer alterações patológicas que requeiram atendimento médico especializado.

Com a autorização do Ministério da Saúde, esse profissional é habilitado para realizar qualquer parto normal sem nenhuma complicação à saúde da mãe ou do bebê.