Projeto Teia Verde revitaliza áreas de comunidades e capacita cerca de 200 agentes de transformação em Santo André (SP)

27 de Julho de 2017

Em dois anos, iniciativa do Instituto Acqua com patrocínio da Petrobras ofereceu aulas gratuitas de jardinagem e paisagismo para moradores de comunidades de Santo André

Cerca de 50 espaços nas comunidades Tamarutaca, Conjunto Prestes Maia e Parque Erasmo Assunção, todas em Santo André (SP), foram transformados ao longo de dois anos por meio do projeto Teia Verde, realizado pelo Instituto Acqua com patrocínio da Petrobras. Entre junho de 2015 e junho deste ano, os locais foram revitalizados por aproximadamente 200 pessoas capacitadas como agentes de transformação.

Com essa iniciativa, os locais, entre associações de bairro, escolas, creches, casas e edifícios, ganharam jardins verticais, vasos com várias espécies de plantas e áreas verdes por meio de oficinas práticas de arranjo floral, kokedama (arranjo de planta feito de musgo), bola-semente (usadas para semear flores, frutas e outras plantas) e painel verde, entre outras.

O projeto proporcionou aos moradores destas regiões acesso gratuito a um curso de jardinagem e paisagismo, com aulas ministradas três vezes por semana dentro das associações de bairro das três comunidades. As seis turmas participaram de aproximadamente 900 horas de aulas teóricas, palestras, visitas técnicas e atividades práticas.

Além de auxiliar nas transformações no bairro em que vive, Maria Aparecida, uma das alunas do curso no Parque Erasmo Assunção, saiu da depressão com a ajuda do Teia Verde. “Eu estava sem ânimo para sair de casa e pensei que não ia conseguir participar. Então, pra mim, foi uma experiência muito boa e gratificante completar o curso e fazer o que eu mais queria, que era cuidar das nossas praças”, contou a dona de casa.

Todas as atividades do projeto foram discutidas nas comunidades, permitindo aos alunos indicar os locais que seriam revitalizados. “A gente cuidava errado das plantas porque não conhecia a técnica, e esse curso foi proveitoso porque nos ajudou a cuidar delas da forma certa. Para quem era leigo foi muito bom participar das aulas”, afirmou Rosilene Nogueira, aluna do Conjunto Prestes Maia.

Os alunos também participaram de visitas técnicas para ampliar os conhecimentos adquiridos durante os encontros. Entre os locais visitados estavam o Jardim Botânico de São Paulo, o ABC Garden, em São Bernardo do Campo, e o Parque Celso Daniel e Parque Escola, ambos em Santo André.

Geração de renda – O amplo conteúdo oferecido pelo Teia Verde também contribuiu na preparação dos participantes para o mercado de trabalho. Eles receberam apoio e orientação técnica da equipe para atuar profissionalmente nas áreas de jardinagem e paisagismo. “Com o conhecimento que recebi fui batendo de porta em porta e hoje faço manutenção e paisagismo para Padaria Brasileira, em Santo André, todas as unidades da Droga Raia em Santo André e São Caetano do Sul e o Colégio Jean Piaget, em Ribeirão Pires”, contou Wallace Mathias, um dos participantes da primeira turma do projeto, na comunidade Tamarutaca.

“O Instituto Acqua tem orgulho pela parceria com a Petrobras em iniciativas como essa. Por meio do empoderamento e da valorização do espaço, esse projeto despertou o olhar das comunidades envolvidas para a importância de transformar o entorno em que vivem”, destacou Ronaldo Querodia, diretor-presidente do Instituto Acqua.

Esta não foi a primeira vez que um projeto do Instituto foi contemplado pela Petrobras: os projetos Comunidade Revela, com aulas de fotografia e vídeo, e Comunidade Viva, curso de jardinagem e paisagismo, foram patrocinados em 2008 e 2012, respectivamente. Ambos com duração de dois anos.