Representantes da OPAS e Ministério da Saúde visitam Casa de Apoio Ninar (MA)

11 de Abril de 2019

Unidade gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem contribuído para a reestruturação emocional e econômica das famílias atendidas

Representantes da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Ministério da Saúde visitaram na última quinta-feira (11/04) a Casa de Apoio Ninar, em São Luís (MA), para conhecer o trabalho multidisciplinar com atuação voltada às famílias de crianças que passam por tratamento de neurodesenvolvimento. A unidade é gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A comitiva que integrou a visita foi composta por Haydée Padilla, coordenadora da unidade técnica de Família, Gênero e Curso de Vida da (OPAS), Katia Souto, representante do Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas do Ministério da Saúde e Suzanne Serruya, do Centro Latino-Americano para Perinatologia – Saúde das Mulheres e Reprodutiva (CLAP/SMR-OPAS/OMS). As representantes foram acompanhadas pela diretora da unidade e neuropediatra, Patrícia Sousa, que apresentou as instalações e estrutura de funcionamento da Casa de Apoio. Na ocasião, a diretora explicou como é desenvolvido os circuitos de atividades de convivência e o acolhimento que cada família recebe ao acessar a Casa. Também estiveram presentes o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, e a diretora executiva do Instituto Acqua, Paula Assis.

 “Tivemos um grande desafio quando surgiram os primeiros casos de Zika, pois precisávamos saber como orientar e preparar nossos profissionais para esta situação. E aqui com esta experiência da Casa de Apoio percebemos o quanto ela é relevante nesse tema. Essa prática exitosa precisa ser levada para outras regiões do Brasil e também do mundo”, pontuou Haydée Padilla, representante da OPAS.

A Casa de Apoio Ninar atende famílias de crianças com síndrome de Down, síndromes raras, paralisia cerebral por anoxia, paralisia cerebral com microcefalia por infecção congênita, incluindo Zika Vírus, rubéola e toxoplasmose.

Todo o trabalho da Casa de Apoio é estruturado com foco na reestruturação emocional e econômica dos lares, com ações a longo prazo e cuidados que envolvem o acolhimento e empoderamento das mães em um ambiente ressignificado para além da reabilitação das crianças, estimulando a prevenção, a assistência e o empreendedorismo. Para fortalecer os laços entre familiares e crianças, a Casa de Apoio ainda desenvolve projetos como a Cozinha Amiga, oficinas de mandala, argila e musicalização, além de eventos alusivos às principais datas comemorativas.