Unidades realizam 13 mil testes para detectar cardiopatias em 2017

15 de Janeiro de 2018

Realizado enquanto mãe e bebê estão internados na maternidade, teste do coraçãozinho auxilia no diagnóstico precoce de cardiopatias congênitas

Antes de receber alta médica, os bebês que nascem nas maternidades Benedito Leite e Nossa Senhora da Penha, na Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (antiga Maternidade Marly Sarney) e no Hospital Regional de Balsas realizam exames de triagem neonatal para detecção precoce de doenças. Um desses exames é o teste do coraçãozinho, que em 2017 registrou 13.050 procedimentos nessas quatro unidades, todas sob gestão do Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Governo do Maranhão.

Indolor e gratuito, o teste é feito entre 24 e 48 horas após o nascimento e consiste no monitoramento da quantidade de oxigênio no sangue a partir de medições realizadas simultaneamente na mão direita e em um dos pés do recém-nascido. O procedimento dura cerca de cinco minutos e auxilia no diagnóstico de cardiopatias (doenças do coração e/ou dos vasos sanguíneos). “Estamos avançando e consolidando serviços importantes para expandir o atendimento especializado na rede neonatal”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Em São Luís, a coordenadora de enfermagem da Maternidade Benedito Leite, Kelma Lucena, reforçou a importância da oferta de exames da triagem neonatal para que o bebê receba assistência adequada e apresente melhor resposta durante eventual tratamento. “Realizamos exames antes da alta hospitalar que detectam doenças que poderiam influenciar na qualidade de vida e no desenvolvimento dos bebês”, afirmou.

Geyse Assad, filha do casal Jean Jacinto, 41 anos, e Claudiane Saraiva, 30 anos, nasceu na Maternidade Benedito Leite. O bebê realizou o exame com 30 horas de vida. Após o procedimento, os pais receberam o resultado: estava tudo normal com a criança. “Estou muito feliz em saber que está tudo bem com minha filha”, disse Claudiane. O resultado foi registrado na caderneta de saúde do bebê.

A possibilidade de fazer vários exames ainda na maternidade surpreendeu Maria do Livramento dos Santos Araújo, 35 anos. Ela deu à luz ao seu primeiro filho também na Maternidade Benedito Leite. “É bom que os profissionais aproveitem enquanto estamos internados para ver se está tudo certo com a saúde dele. A gente até se sente mais segura”, afirmou.