contato@institutoacqua.org.br

Hospitais Tomás Martins e de Campanha em Santa Inês (MA) reforçam medidas de limpeza 

10/06/2020

Ações evitam propagação de vírus e infecção cruzada; além da desinfecção, capacitações sobre higienização das mãos também integram práticas preventivas 

As ações de limpeza e desinfeção das superfícies no Hospital Macrorregional Tomás Martins e Hospital de Campanha de Santa Inês (MA) têm sido reforçadas durante a pandemia. Nesta terça-feira (09/06), as duas unidades de saúde passaram por processo de desinfecção realizada por empresa especializada. O Instituto Acqua mantém gestão dos hospitais em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“A higienização hospitalar faz parte do processo de controle de infecção. Dentro do Macrorregional sempre foi uma prioridade e agora no Hospital de Campanha também já é realidade. Sempre estivemos pautados em protocolos nacionais, seguindo também os protocolos estaduais e normas operacionais para que possamos sempre reduzir o risco de qualquer tipo de infecção”, explicou a diretora-administrativa do Macrorregional, Thaíse Lima.

Técnica – Durante o processo de desinfecção, o quaternário de amônio é aplicado em superfícies, corredores, maçanetas, corrimão e demais espaços onde haja passagem de pessoas, conforme explica Cristiano Silva, responsável pelo processo de higienização nas duas unidades de saúde. “Enquanto a aplicação está sendo feita não há risco para as outras pessoas, uma vez que o produto é inorgânico e sem odor. Com o produto, as superfícies dos ambientes permanecem com película protetora contra micro-organismos”, detalhou. 

Capacitações – Além dos processos de desinfecção, as unidades de saúde realizam de forma periódica capacitações com a equipe dos agentes operacionais de serviços gerais, profissionais de enfermagem e equipe médica orientando sobre as formas e os protocolos que devem ser seguidos tanto no momento da paramentação e desparamentação, como no descarte de lixo comum e infectante. Adotar práticas corretas contribui para redução da propagação de vírus causadores de diversas doenças.

Além da desinfecção, outro processo que tem papel importante na higiene do ambiente hospitalar é o descarte do lixo. Em relação aos resíduos produzidos no hospital, as unidades de saúde seguem o que determina o Programa de Gerenciamento de Resíduos (PGR). Além desta medida, os locais específicos destinados para o descarte dos resíduos são sinalizados, evitando assim qualquer risco de contaminação a pacientes, acompanhantes ou profissionais de saúde.

“É importante lembrar que essas ações combatem não só a propagação do novo coronavírus, mas também previne a propagação do H1N1. Além desse aspecto, evita a infecção cruzada, que pode ser de um paciente para o outro ou de um paciente para um profissional e vice-versa”, completou Thaíse.

Outros processos abordados nas unidades de saúde que ajudam na higiene do ambiente hospitalar é a lavagem das mãos com água e sabão e utilização de álcool em gel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *