contato@institutoacqua.org.br

Hospital de Campanha de Santa Inês (MA) mantém suporte da farmácia

15/06/2020

Responsável pela distribuição de medicamentos, setor atende demanda para tratamento de pacientes que estão em recuperação da Covid-19; Instituto Acqua mantém gestão do hospital em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES)

Responsável pelas atividades de controle, armazenamento, dispensa e distribuição de medicamentos no Hospital de Campanha de Santa Inês (MA), a farmácia da unidade de saúde tem exercido papel importante no fluxo de atendimento aos pacientes internados em tratamento da Covid-19. Ao ser admitido, o paciente necessita de auxílio das equipes de enfermagem, médica, multiprofissional e do uso de medicações específicas para combater os sintomas causados pelo novo coronavírus. Enfermeiros e técnicos de enfermagem mantém contato direto com a farmácia. Esse suporte é feito com base na prescrição médica. O hospital é gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) do Maranhão.

Todos os dias, o farmacêutico de plantão confere o estoque por meio de uma planilha desenvolvida para facilitar o controle dos medicamentos, dentre eles, os controlados – diazepam, tramal, clonazepam. Além desta função, o farmacêutico abastece o armário de dispensação com os medicamentos que serão utilizados durante o dia. O espaço destinado para os psicotrópicos também é verificado e abastecido.

“Como todos os setores do hospital, na farmácia também temos rotina organizada e buscamos sempre armazenar medicações que não podem faltar, por exemplo, para os enfermeiros utilizarem em caso de uma urgência ou emergência. Esse é um ponto importante, pois quando se trata de medicamentos sempre precisamos ter esse controle no armazenamento. Para exemplificar essa importância, os medicamentos controlados sempre precisam estar em armário fechado”, detalhou a coordenadora da farmácia e do almoxarifado, Priscilla Silva da Siqueira.
As medicações são liberadas apenas com a prescrição médica. O cuidado com os remédios de alta vigilância – dobutamina, dopamina, noradrenalina e adrenalina – é constante pela equipe de farmácia do Hospital de Campanha de Santa Inês. “São medicações que podem ser confundidas na hora da dispensação, por isso, para facilitar a identificação, reforçamos a sinalização de cada uma delas. Todas estão etiquetadas”, explicou Priscilla Siqueira.

Fármacos fotossensíveis já possuem embalagens próprias para impedir a penetração da luz e prejudicar o efeito do medicamento. Os que precisam ser refrigerados, como insulina, e alguns anestésicos, são armazenados em local próprio: para estes a atenção também é redobrada e as equipes passam pela observação e orientação permanente da coordenadora do setor.

No posto de enfermagem, permanecem apenas soros, glicoses e insumos básicos como luvas, avental, mascaras N95, óculos de proteção, entre outros equipamentos de proteção individual (EPI). A medida é para evitar desperdício ou qualquer erro na administração ou ainda o extravio. Cada prescrição médica é de uso individual de cada paciente.

Além de todo cuidado com o armazenamento, seguindo o que determina as legislações federal e estadual, os colaboradores da farmácia seguem todas as recomendações sanitárias da Organização Mundial de Saúde (OMS) durante a pandemia como o uso de EPIs.

Realização – “Coordenar o setor e poder dar minha parcela de contribuição para outras pessoas que necessitam de ajuda nesse momento é uma realização pessoal. A farmácia e almoxarifado são o coração do hospital, eles bombeiam e dão suporte a todos os demais setores dentro da unidade contribuindo para que seja prestada uma assistência de excelência na recuperação do paciente com a Covid-19”, expressou a coordenadora da farmácia e almoxarifado.

Equipe – No Hospital de Campanha, integram a equipe da farmácia satélite: seis farmacêuticos, sendo um coordenador e cinco farmacêuticos plantonistas e dois auxiliares. O farmacêutico coordenador é o responsável pela integração da farmácia e almoxarifado. É este profissional que realiza a aquisição, planeja e gerencia as condições para que a equipe dos dois setores possam desempenhar suas funções dentro da unidade de saúde. Os farmacêuticos plantonistas prestam assistência dentro da farmácia e atuam junto ao médico e à enfermagem analisando as prescrições e liberando as medicações necessárias ao tratamento do paciente.

Já o time do almoxarifado é composto por um profissional encarregado e auxiliares. Entre as funções do almoxarifado estão controlar notas fiscais, insumos, entradas e validade de material e medicamentos. Para não prejudicar o atendimento e o funcionamento da farmácia, no período noturno, um farmacêutico permanece de plantão auxiliado por um colaborador. No almoxarifado, um auxiliar-administrativo gerencia o setor durante a noite prestando assistência 24 horas.

Hospital de Campanha – A unidade de saúde foi entregue à população no início do mês de junho pelo Governo do Estado e Instituto Acqua como parte das ações da rede estadual de saúde no combate à pandemia na região do Vale do Pindaré, no Maranhão. Os leitos do Hospital de Campanha funcionam como retaguarda do Macrorregional Tomás Martins. Quarenta leitos destinados exclusivamente para pacientes em tratamento contra a Covid-19 estão em funcionamento.

De acordo com o fluxo de atendimento, o paciente após ser regulado pelo município de origem é admitido no Hospital Tomás Martins, onde inicia o tratamento. Dependendo do diagnóstico, o paciente é internado em um dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou de enfermaria – ala amarela. Após passar pelo tratamento no Macrorregional e com o quadro clínico apresentando melhora, o paciente é encaminhado para o Hospital de Campanha.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *