contato@institutoacqua.org.br

Hospital Regional de Balsas (MA) promove Novembro Roxo com palestras

22/11/2020

Campanha marca o Dia Mundial da Prematuridade em 17 de novembro. Unidade de saúde é gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a SES

Na última terça-feira (17/11) foi celebrado o Dia Mundial da Prematuridade. A equipe do Hospital Regional de Balsas, no sul do Maranhão, realizou palestras sobre assistência humanizada ao prematuro e benefícios do banho de ofurô. A unidade é gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A prematuridade é preocupante. No Brasil, 11,7% do total de nascimentos acontecem antes de 37 semanas de gestação, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU). A data tem o objetivo de alertar sobre o crescente número de partos prematuros e informar sobre as consequências para o bebê, a família e a sociedade. Uma data que mobiliza a prevenção.

Pliscylla Lima Cardoso, médica especializada em Pediatria, ressalta a questão da humanização no atendimento às famílias de bebês prematuros que são atendidos na maternidade do Hospital Regional de Balsas. “Além dos aspectos da prevenção, salientamos também a importância do atendimento humanizado oferecido para as crianças que nascem antes do tempo previsto e uma estrutura que ofereça tratamento moderno e adequado nas unidade de terapia intensiva”, destacou.

No hospital, as boas práticas de humanização na assistência iniciam com a entrada da mãe, na consulta com o obstetra seguindo até o parto. Após o parto, são estimulados o contato pele a pele do bebê, avaliação do estado real da saúde do recém-nascido e necessidade de cuidados neonatais, com estímulo ao desenvolvimento físico e emocional. “A dor, o choro, o batimento cardíaco, a temperatura do corpo, características fisiológicas e comportamentais são avaliadas para a assistência. Uma dos métodos que utilizamos é o canguru que promove o fortalecimento do vínculo, sobretudo com o toque pele a pele”, falou Pliscylla.

Uma das técnicas usadas no atendimento humanizado é o banho de ofurô e, no evento, foi partilhado pela enfermeira-obstetra e professora da Universidade Estadual do Maranhão, Jaiane de Melo Vilanova. “A principal finalidade é fazer uma memorização da vida intrauterina para o prematuro, recordar essa memória intrauterina”, explicou.

O banho pode ser feito com uso de um balde com a parte interna ovulada. A água deve ter temperatura entre 36 e 37 graus na medida de 7 a 8 dedos de preenchimento, adaptando de acordo com o peso do bebê e não ultrapassar o nível do ombro do bebê. Até os três meses, o bebê pode ser enrolado em fralda para remeter ao ambiente uterino. A especialista lembra que deve sempre apoiar a cervical formando uma trava de segurança. “Esse banho pode ser para uso higiênico ou também apenas para o relaxamento no momento de choro ou cólica intensa”, disse Jaiane.

Em média, 4 a 5 prematuros são internados mensalmente na Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais (Ucinco). O setor está equipado com incubadores aquecidas que favorecem o controle da temperatura, ventiladores mecânicos, monitorização contínua e protocolos de manuseio mínimo para que o bebê seja menos manipulado possível para que não tenha perda de peso. Formada por equipe multiprofissional treinada e capacitada para atender bebês prematuros, a unidade cumpre protocolos para prestar assistência de qualidade, com rotinas que levam a diminuição do estresse e dor, com humanização. A mãe do bebê também é assistida por toda a equipe, tendo ainda suporte multiprofissional com atendimento de psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *