contato@institutoacqua.org.br

Tecnologia garante atendimento de excelência no Hospital de Campanha de Santa Inês (MA)

24/06/2020

Unidade gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) mantém 40 leitos a pacientes com a Covid-19 regulados pelo Hospital Macrorregional Tomás Martins

O Hospital de Campanha (HC) de Santa Inês (MA), inaugurado há duas semanas, oferece assistência especializada a pacientes diagnosticados com o novo coronavírus e mantém 40 leitos, divididos em oito enfermarias com estrutura e tecnologia direcionada para o tratamento exclusivo da doença respiratória. O Instituto Acqua administra a unidade em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

A diretora-administrativa do hospital, Thayse Bastos, explica que os leitos do HC foram abertos para garantir a retaguarda dos atendimentos a pacientes em tratamento contra a Covid-19 no Hospital Macrorregional Tomás Martins. “O HC recebe exclusivamente pacientes com quadro clínico melhorado e estável, e que ainda necessitam de acompanhamento multidisciplinar para recuperação completa”, disse.

A estabilidade do paciente hospitalar é observada a partir de diferentes critérios avaliados pelo médico responsável. Parâmetros clínicos como provas positivas de apneia, hemodinâmica estável, saturação de oxigênio acima de 90%, frequência respiratória adequada, e mensurada a previsão de alta, avaliado também por exames respiratórios, radiológicos e laboratoriais em quadro moderado a leve. É quando o paciente não depende mais de oxigênio em uso contínuo (máscara concentradora).

Dentro da estrutura do Hospital de Campanha funciona uma sala que garante o aparato necessário para manter a observação atenta das alterações do estado clínico do paciente durante 24 horas – a sala de estabilização. “Ela é equipada com alta tecnologia e, caso ocorra um agravamento do quadro de algum paciente, a gente consegue fazer o atendimento emergencial com eficiência”, ressaltou Thayse Bastos.

O paciente quando chega ao Hospital de Campanha é reavaliado pelo médico clínico. A sala de estabilização é um espaço com estrutura mais complexa de tecnologia, que inclui equipamentos avançados como monitor multiparâmetro e ventilador mecânico – essenciais no atendimento de urgência e emergência – além de kit de intubação, carrinho de emergência e desfibrilador.

A sala funciona como um suporte tecnológico para a equipe multidisciplinar do hospital, composta por médico, fisioterapeuta, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogo e assistente social. A estrutura da unidade de saúde conta ainda com recepção, laboratório, farmácia, almoxarifado, posto de enfermagem, refeitório e sala para equipe multidisciplinar.

O HC foi implantado na região com intuito de aumentar a oferta de leitos para pacientes com a Covid-19 com tratamento eficaz, contribuindo, assim, para ajudar no combate ao coronavírus e salvar vidas na região do Vale do Pindaré. “Com isso, conseguimos realizar o giro de leitos do Macrorregional e ampliar o atendimento a pacientes graves que exigem tratamento mais intensivo”, concluiu Thayse Bastos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *